Quanto uma violação de dados pode custar para uma empresa?

Você sabe qual é o custo médio de uma violação de dados? Confira o artigo e entenda como esses custos impactam na cibersegurança e saúde da empresa.

26/10/2022 Aprox. 10min.
Quanto uma violação de dados pode custar para uma empresa?

A violação de dados acontece quando uma empresa sofre um ataque em relação à segurança de dados pelos quais é responsável. O resultado desse incidente é a violação da confidencialidade, disponibilidade e integridade desses dados, e isso acarreta um altíssimo custo para as organizações.

O relatório anual Cost of a Data Breach Report (Custo de uma Violação de Dados) de 2022, divulgado pela IBM Security, revelou o custo médio de uma violação de dados, que atingiu a alta histórica de US$ 4,35 milhões para as empresas que participaram do estudo.

Cerca de 83% das organizações avaliadas no relatório sofreram mais de uma violação de dados em sua vida. Outro fator presente no estudo avaliou que os efeitos posteriores causados pelas violações de dados permanecem por mais de um ano após o incidente.

Por que esse relatório anual é importante?

O relatório Cost of a Data Breach Report, que estuda o custo de uma violação de dados, oferece uma análise detalhada de violações reais para entendermos os riscos que impactam a cibersegurança de uma empresa.

Segundo Charles Henderson, chefe global da IBM Security X-Force, “este relatório mostra que as estratégias certas aliadas às tecnologias certas podem ajudar a fazer toda a diferença quando as empresas são atacadas”. Confira a seguir o que o estudo de 2022 descobriu.

O que o relatório de violação de dados constatou?

  • Phishing é a causa de violação de dados mais cara

Mesmo sendo a segunda causa mais comum de violação de dados (credenciais comprometidas é a primeira), o phishing é também a mais cara de todas, levando a US$ 4,91 milhões em custos médios de violação para as empresas.

Já abordamos sobre o Phishing aqui no blog. Esse é o nome dado ao ataque virtual onde cibercriminosos colhem informações, como dados pessoais, senhas, dados bancários e documentos corporativos.

  • Infraestrutura crítica atrasada em adotar Zero Trust

O relatório de violação de dados revelou que quase 80% das organizações de infraestrutura crítica analisadas ainda não adotam estratégias de Zero Trust, também conhecida como Confiança Zero.

Resumidamente, o modelo Zero Trust indica que o usuário, mesmo que seja permitido na rede, deve ser confiável por padrão, já que existe a chance dele ser ou estar comprometido. Sendo assim, a autenticação de identidade e do dispositivo é necessária em toda a rede, não só no perímetro.

Outra questão que o relatório constatou é que 28% das violações de dados nessas empresas foram por ransomware (tipo de malware de sequestro de dados) ou ataques destrutivos.

  • Pagamento pelo resgate

Os custos médios de violação de dados das vítimas que sofreram ataques de ransomware foram reduzidos em apenas US$ 610 mil em comparação às empresas que não optaram por pagar.

Quanto ao pagamento do resgate em si, o custo médio pode aumentar consideravelmente. Por isso, o relatório indica que pagar o resgate não é uma estratégia eficaz para resolver o problema de imediato.

  • Cibersegurança na nuvem

O estudo verificou uma certa imaturidade de cibersegurança em relação aos ambientes de nuvem das empresas. São 43% das organizações que nem começaram a investir em cibersegurança na nuvem, ou ainda estão no início desse processo.

  • Economia de custos com IA de segurança e automação

A maior economia de custos de violação de dados incide entre as empresas que adotaram estratégias de IA de segurança e automação. Foram US$ 3,05 milhões a menos em média em referência às organizações que não aderiram tais soluções tecnológicas.

5 soluções preventivas para evitar ataques cibernéticos

Investir em cibersegurança para proteger sua empresa contra ataques, como o phishing ou ransomware, é fundamental para evitar a violação de dados. Veja a seguir 5 estratégias eficientes e iniciais que a IB Cybersecurity preparou para preservar seus dados.

1) Adote um plano de gerenciamento de risco cibernético

Sua empresa deve ter um plano de gerenciamento de risco de segurança cibernética bem elaborado que possa identificar, avaliar e priorizar ameaças do mundo cibernético.

Para que seja assertivo, esse programa de gerenciamento de riscos precisa ser difundido por toda a empresa, para que todos os colaboradores saibam como agir quando houver alguma adversidade.

2) Mantenha suas configurações seguras

Uma equipe de TI especializada em segurança de rede de computadores pode desenvolver estratégias eficazes ao construir e instalar os dispositivos na rede da empresa.

É necessário que haja a remoção ou desabilitação de funcionalidades irrelevantes dos sistemas para os usuários, assim como a correção de vulnerabilidades e possíveis portas de entrada para ataques.

3) Garanta que os colaboradores remotos estejam protegidos

Com a adoção do trabalho remoto sendo cada vez mais uma realidade entre as organizações, os funcionários que acessam os sistemas fora da empresa devem trabalhar com a segurança de rede necessária com tecnologia de VPN e criptografia para evitar a perda ou violação de dados.

4) Proteja sua empresa contra ameaças virtuais

As ameaças virtuais são inúmeras e a empresa deve estar preparada para elas. Alguns exemplos de golpes cibernéticos são malware, phishing, trojan, ransomware, backdoor, entre outros.

Esses tipos de golpes comuns penetram em redes e sistemas com a intenção de causar danos ou roubar dados. Os cibercriminosos violam dados vulneráveis e conseguem coletar diversas informações, como dados de cartão de crédito e outros dados bancários, roubar propriedade intelectual, sequestrar dados e exigir resgate ou até mesmo expor estas informações publicamente.

5) Monitore redes, sistemas e serviços da sua empresa

A equipe de TI deve monitorar e avaliar a rede interna e os sistemas utilizados pelos colaboradores. É fundamental realizar relatórios analíticos que contenham informações sobre como encontra-se o tráfego de rede, por exemplo.

Reforce a cibersegurança na sua empresa

A IB Cybersecurity pode te ajudar a garantir a segurança dos dados da sua empresa de forma personalizada e que atenda todas suas necessidades. Somos especializados em cibersegurança e dispomos de tecnologia de ponta israelense para promover a proteção completa do seu negócio e evitar a violação de dados.

Com soluções tecnológicas de machine learning e inteligência artificial, atuamos de acordo com as melhores práticas do mercado e contamos com parceiros qualificados e experientes no segmento.

Clique aqui, conheça nossos serviços e solicite um orçamento.

Carlos

Carlos

CTO

Engenheiro Eletricista e Mestre em Desenvolvimento de Tecnologias, Especialista em Cybersecurity, com atuação no desenvolvimento de projetos de instalações elétricas e automação predial, segurança eletrônica, eficiência energética e conservação de energia na área predial. Desenvolvimento de sistemas de supervisão e controle predial e residencial (BMS).


Posts relacionados

Como fortalecer a segurança cibernética em setores críticos?
Cybersecurity
Saiba mais
11/04/2024 Aprox. 9min.

Como fortalecer a segurança cibernética em setores críticos...

Descubra soluções para identificar vulnerabilidades e implementar medidas de segurança cibernética para proteger informações vitais contra ameaças.

Além dos antivírus: a eficiência da prevenção por decepção
Cybersecurity
Saiba mais
28/03/2024 Aprox. 6min.

Além dos antivírus: a eficiência da prevenção por decepção

Prevenção por decepção na defesa cibernética: uma abordagem que redefine as fronteiras da segurança digital.

Explorando as 6 camadas da segurança cibernética: soluções adequadas para cada desafio
Cybersecurity
Saiba mais
18/03/2024 Aprox. 7min.

Explorando as 6 camadas da segurança cibernética: soluções adequadas para cada desafio

Em um mundo onde as ameaças evoluem constantemente, a implementação eficaz das 6 camadas de cibersegurança é urgente. Saiba mais neste artigo.